Cinco lobos (3 dos quais lobitos felinos) decidiram mudar de país em busca de novos sonhos. Uma nova aventura do Centro de Portugal para o Centro da Suiça. Já regressámos a Portugal e agora a história conta-se por cá
26.2.10

…até pode parecer que andamos sempre a passear…e de certa forma até é bem verdade . Apesar de já ter passado de carro inúmeras vezes pela cidade de Zurique só anteontem é que tivemos oportunidade de ir lá passear a pé, e conhecer um pouco mais a fundo esta cidade.

Estivemos mesmo no centro de Zurique e a minha análise é que se trata de uma cidade relativamente agradável, apesar da sua densidade populacional. Sinceramente não é do que mais gosto, cidades repletas de gente…mas as lojas de roupa são espectaculares, muito grandes e variadas. Ficou decidido que em breve iremos lá novamente para nos “perdermos” nas lojas.

Eléctrico na Bahnhofstrasse

Esplanada de um bar (achei mesmo linda)

O dia foi mesmo muito intenso, andámos muito a pé, namoramos muito, conversamos muito, rimos muito e acabamos o dia a comer uma deliciosa pizza vegetariana, às 22 horas, num restaurante espectacular sem um único cliente para além de nós.

 

link do postPor acaminhadadoslobos, às 09:22  comentar

23.2.10

...anteontem fomos conhecer Lausanne, localizado na parte francesa da Suíça, perto de Genebra. Já visitei quase toda a Suíça e posso garantir que é um país muito lindo, desde as cidades, às montanhas, ainda não vi nada de que não gostasse verdadeiramente.

Lausanne também é muito linda, pelo meio da cidade encontram-se edifícios imponentes que, em alguns momentos, me fizeram lembrar algumas ruas da cidade do Porto. Junto ao lago (que é o mesmo lago que passa em Genebra) é onde se encontra toda a movimentação de pessoas a passear e a almoçar nas esplanadas.

Hotel Chateaux D'Ouchy

Passear com o lobo é algo maravilhoso. Passamos horas e horas a conversar e a rir, rimos por tudo e por nada… como quando fomos comprar um postal, num quiosque, e em que eu pedi ao lobo para aplicar o seu francês o máximo possível para que eu o ouvisse falar (o quê que eu posso fazer…eu adoro ouvi-lo falar em francês). Ele sorriu, concordou e lá se dirigiu ao vendedor com o postal na mão e perguntou quanto custava, apesar do preço estar em grandes números junto ao expositor dos postais . Qual não foi o nosso espanto quando o vendedor diz o preço num francês com a pronúncia mais portuguesa que eu já ouvi. E eu que queria tanto ouvir a pronúncia francesa e sai-me um vendedor português…é óbvio que saímos dali a rir a bandeiras despregadas.

O que também gostei foi de um carrossel que estava junto ao lago e que parecia mesmo saído de um filme do século passado, mesmo lindo!

 

 

O dia terminou com um miminho do lobo…ele adora oferecer-me flores e eu adoro receber flores. Eu sou mesmo apaixonada pelo lobo…

 

link do postPor acaminhadadoslobos, às 09:25  comentar

19.2.10

…estranhos. Um dia atrás do outro. Um dia que se confunde com o outro. Perco a noção do tempo, do tempo que se mistura como uma nuvem de fumo com os meus pensamentos. Sinto-me triste, não sei se sei porquê mas quase que apostava que tem a ver com a questão profissional. O lobo tem sido um querido…sempre.

 

link do postPor acaminhadadoslobos, às 22:54  comentar

14.2.10

...“Um lugar ao sol”, dos Delfins.

Será que alguém ainda canta músicas dos Delfins? Tu cantas e eu adoro!

 

 

link do postPor acaminhadadoslobos, às 21:08  comentar

10.2.10

(Algures a caminho de Bern)

…de união, de amor, de amizade. Este fim-de-semana os meus pais celebraram aniversário de casamento. Há cerca de 40 anos (um pouco mais, contanto com o tempo de namoro), dois jovens conheceram-se, apaixonaram-se e casaram. As dificuldades sempre os acompanharam, as discussões sempre os acompanharam, assim como incompreensões, desilusões e tristezas mas apesar disso, desde que me lembro de existir, sempre vi no cruzamento dos seus olhares muito amor, muita amizade (embora por vezes escondida atrás de paredes rochosas de desentendimentos). E eu sempre cresci com a ideia de que o casamento não era feliz mas era para o resto da vida. Actualmente criei a minha própria opinião do casamento e cheguei à conclusão que afinal o casamento pode ser feliz e não tem de ser para o resto da vida.

Hoje olho para eles e vejo duas pessoas que se escolheram e que se ajudaram mutuamente a crescer, a evoluir…que criaram os filhos num ambiente de muita união, onde existe um pacto subentendido de ligação entre os pais e os filhos. O mundo inteiro pode-se afastar, o mundo inteiro pode-nos trair, mentir, manipular mas o núcleo de amor existente entre nós é inabalável. E acho que este foi o resultado principal deste casamento de 39 anos. Dois jovens que se uniram e que conseguiram criar e desenvolver um amor incondicional que nos interliga como uma teia e que nos deixa com a incrível sensação de segurança, de rede. Porque aconteça o que acontecer, cada um de nós sabe que pode contar com o mano, a mana ou os pais, este amor é que conta, este amor impenetrável que ninguém consegue alterar, interferir ou simplesmente inserir-se porque a teia não permite intrusos…Este amor real que nos faz lembrar que os casamentos podem ser felizes e podem sim, ser para toda a vida.

 

link do postPor acaminhadadoslobos, às 17:19  ver comentários (2) comentar

4.2.10

…e aos meus lobos. O regresso já aconteceu na passada semana mas estes dias têm sido completamente preenchidos.

A viagem foi simplesmente maravilhosa, foi como receber uma injecção de oxigénio, estar com a minha família foi muito bom tal como foi bom regressar depois para junto da minha mais recente família (lobo e lobitos). Sinto-me feliz simplesmente por existir…

A viagem de avião foi algo avassalador, principalmente a ida para Portugal. Viajar de avião pela primeira vez aos 32 anos é algo que não devia acontecer a ninguém, imagino que seja como aprender a andar de bicicleta ou aprender a nadar depois dos 30, nunca será tão fácil como quando somos crianças…pois para mim foi muito difícil quando o avião levantou voo, eu simplesmente fechei os olhos e pensei: “eu vou morrer!”. Foi algo potente mas que penso já ter ultrapassado porque na viagem de regresso tudo correu com a maior das naturalidades como se eu viajasse de avião todas as semanas…sem medos, sem receios, sem tremeliques.

Em Portugal foi receber mimo e mais mimo e mais mimo, eu amo a minha família! Aproveitei para ir ao cinema ver os filmes “Avatar” (está extraordinariamente bem feito, os efeitos especiais estão fabulosos e o enredo também está interessante) e o “Sherlock Holmes” (que gostei muito mesmo).

O regresso aconteceu muito rápido mas as saudades do lobo já eram muitas e tal como ele me disse: “as almas gémeas não podem estar separadas”.

 

link do postPor acaminhadadoslobos, às 20:02  comentar

Loba
Meez 3D avatar avatars games
Fevereiro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
12
13

15
16
17
18
20

21
22
24
25
27

28


subscrever feeds
blogs SAPO